Clubes de futebol e jogadores italianos são denunciados à Justiça por fraudes

A Procuradoria da Federação Italiana de Futebol (Figc) denunciou ao Tribunal Federal Nacional da entidade 14 clubes, incluindo Juventus, Inter de Milão e Napoli, por violação do código de justiça desportiva e das regras de agenciamento de jogadores.

O caso nasceu do inquérito "Fuorigioco" ("Impedimento", em tradução livre), conduzido pelo Ministério Público de Nápoles e que investigou 64 pessoas, entre atletas, cartolas e empresários, por evasão fiscal em operações de compra e venda de jogadores entre 2009 e 2013.

Desde então, a Procuradoria da Figc vem trabalhando em cima do dossiê, levando à denúncia de 14 clubes: Juventus, Inter, Napoli, Palermo, Chievo, Genoa, Pescara, Catania, Cesena, Ternana, Vicenza, Livorno, Grosseto e Reggina.

Eles são suspeitos de "uma série de violações do código de justiça desportiva e do regulamento de agentes de jogadores". Os inquéritos contra duas equipes, Lazio e Portogruaro, foram arquivados.

Além dos times, a Figc denunciou ao Tribunal Federal ex e atuais jogadores, como Ciro Immobile, Adrian Mutu, Hernán Crespo, Diego Milito, Thiago Motta e German Denis, e vários cartolas, incluindo o presidente do Napoli, Aurelio De Laurentiis, e o ex-CEO da Juventus Jean-Claude Blanc.

Agora a corte definirá se as equipes e pessoas investigadas devem ser punidas ou não.


Outros destaques: