Cartaz pede denúncias sobre assassinos de militar do Exército e morador da Penha

O Dia

– Os crimes ocorreram no último dia 4 de outubro. O sargento do Exército fazia ‘bico’ como motorista de Uber no momento em que foi assassinado –

Rio – O Portal dos Procurados divulgou nesta terça-feira um cartaz com o título “Quem Matou?”, para pedir denúncias que ajudem a identificar, localizar e prender os assassinos do sargento do Exército Leandro Delocco Pereira, de 36 anos, e Thiago Henrique Marques, de 36 anos. Ambos foram mortos na Penha, na Zona Norte.

Os crimes ocorreram no último dia 4.  Thiago Henrique Marques, de 36 anos, foi morto na Rua Paul Muller, na localidade conhecida como Quatro Bicas, pelos bandidos que estavam em uma moto. Em seguida, por volta das 20h30h, na Avenida Nossa Senhora da Penha, próximo ao Parque Shangai e ao Quartel dos Bombeiros, o sargento do Exército, que no momento trabalhava como motorista de Uber, foi assassinado. 

Leandro que era paraquedista do 25º Batalhão de Infantaria do Exército, e participou da missão de paz no Haiti e em breve iria servir na Amazônia. Ele estava trabalhando nas horas vagas como motorista do Uber para complementar a renda familiar.

O criminosos tentaram roubar seu carro, um Renault, na cor branca, após ele deixar duas passageiras no local do crime. Como não conseguiram levar seu veiculo, deram um tiro, que acabou atingindo o militar na altura do peito. Levado para o Hospital Getúlio Vargas, não resistiu ao ferimento e morreu.

O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios (DH-Capital). Diligências estão em andamento para esclarecer todas as circunstâncias do crime e sua autoria e testemunhas já foram ouvidas. A principal é de tentativa de assalto em ambos os casos.

Quem tiver qualquer informação a respeito da identificação e localização dos envolvidos nas mortes podem denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram dos Procurados (21) 96802-1650; pelo facebook/(inbox), endereço: https://www.facebook.com/procurados.org/, pelo mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, ou pelo aplicativo do DD. O Anonimato é garantido. Todas as informações sobre o caso estarão sendo encaminhadas para DH-Capital.


Outros destaques: