Candidatos apresentam propostas para o turismo

Na sequência da série especial sobre as propostas dos candidatos à prefeitura de Salvador, a Tribuna foca hoje no setor turístico, apontado como um dos maiores problemas da cidade e do Estado. Confira a seguir:

ACM Neto (DEM)
O plano de governo do alcaide destaca os projetos realizados no setor durante a sua gestão e promete implantar o Museu da Música, nas vizinhanças do Mercado Modelo, e a Casa da História de Salvador no Centro Histórico; reivindicar do governo federal a conclusão do Museu Nacional da Cultura Afro-brasileira; recuperar o Mercado de São Miguel, na Baixa dos Sapateiros; estimular a estruturação da Vila Cultural da Barroquinha; intensificar a política cultural de tombamentos dos Terreiros de Candomblé e valorizar a capoeira e a Baiana do Acarajé; e ampliar o calendário turístico da cidade. O democrata garante ainda que irá consolidar o Festival da Primavera e resgatar das Festas de Largo; fortalecer a economia náutica; atrair marinas de lazer e serviços; promover o Polo de Equipamentos Náuticos; estimular o turismo, o transporte e o lazer náuticos; e construir parcerias para atrair à cidade “equipamentos turísticos modernos e de grande porte”.

Alice Portugal (PCdoB)
A comunista elenca 17 propostas para setor, entre as quais estão: elaborar o Plano de Desenvolvimento Turístico, criar o Museu do Carnaval, desenvolver um plano de preservação dos casarões do centro antigo que estão sendo demolidos, requalificar espaços culturais, rever a política de taxação dos eventos, qualificar a mão-de-obra ligada ao turismo, estabelecer um diálogo permanente com o Trade Turístico e incorporar o debate sobre a economia criativa no processo de planejamento econômico da cidade. Alice quer também resgatar festas populares, repensar o carnaval, definir espaços e atividades estabelecendo políticas para as barracas, e, assim como ACM Neto, pretende valorizar a Baiana do Acarajé e a capoeira.

Fábio Nogueira (PSOL)
O candidato do PSOL, Fábio Nogueira, menciona o setor apenas quando propõe o “encaminhamento de projetos de lei que designem 10% da verba orçamentária para a Reparação e 2% para a Cultura, assim como separação desta última do turismo”.

Da Luz (PRTB)
O candidato trabalhista não apresentou propostas para a área turística.

Claudio Silva (PP)
Caso seja eleito, Silva pretende lutar para democratizar os equipamentos de cultura, implantar equipamento público para reunir um acervo histórico destinado à visitação turística, resgatar as manifestações culturais tradicionais, mapear e divulgar espaços públicos e históricos do município, articular com universidades a oferta de cursos sobre a cultura local, implantar o Plano Municipal de Cultura com a participação popular e estimular o intercâmbio cultural através da articulação com “demais entes federados”. Além disso, o pepista quer implantar programas de atração do turismo de praia, náutico e negócios, realizar um inventário e requalificar espaços urbanos e equipamentos turísticos, incentivar a qualificação e a expansão da rede hoteleira local e implantar um programa permanente de divulgação da cidade de Salvador em eventos nacionais e internacionais.

Célia Sacramento (PPL)
A atual vice-prefeita promete revitalizar bairros vocacionados para cultural local, lançar editais para apoiar iniciativas culturais já existentes nos bairros, democratizar espaços culturais e festas populares, ampliar o conselho do carnaval e utilizar espaços públicos com fomento à cultura nos bairros a partir de pequenos editais. Além disso, Célia fala em dinamizar o potencial turístico da cidade para geração de renda e emprego, fortalecer a rota do turismo étnico/comunitário na cidade, ampliar a capacidade de ocupação do turismo receptivo, criar o museu do Povo de Santo e ampliar e democratizar o calendário anual de festas populares. A candidata promete ainda criar o fundo de Cultura para os Blocos Afro e a Secretaria de Cultura, e implementar as ações do Conselho Municipal do Turismo.

Sarg. Isidório (PDT)
Com forte viés religioso, o pedetista promete reformar os pontos turísticos, desenvolver e potencializar o turismo religioso, criar uma festa cristã (espiritoval ou cristoval) grandes eventos anuais a serem incluídos na rota nacional e internacional de turismo, “tais como inverno e Natal”, renovar os equipamentos turísticos de Salvador e apoiar projetos privados que possam alavancar o turismo na cidade. Isidório também quer oferecer apoio aos guias de turismo, estabelecer convênios com o Ministério do Turismo e outros órgãos federais, e desenvolver parcerias com os municípios da RMS.