Baixada amplia vacinação contra a febre amarela

23 de março de 2017

O Dia

– Nova Iguaçu e Duque de Caxias vão priorizar moradores de áreas rurais. Já Magé imuniza toda a população desde segunda-feira, após morte de macaco em Minas –

Rio – Mesmo sem estar incluída na área endêmica, Nova Iguaçu começa nesta quinta-feira a vacinar contra a febre amarela, como medida de prevenção. Moradores dos bairros localizados na zona da mata e próximos a áreas rurais de serão os primeiros a receberem a imunização, que será feita por agendamento. Equipes da Saúde da Família (ACS) visitarão as residências para cadastrar as famílias e marcar o dia para a vacinação no posto mais próximo. A expectativa é de que sejam imunizadas a população dos bairros de Vila de Cava, Austin, Miguel Couto, Rio D’Ouro, Tinguá, Jaceruba e Adrianópolis.

São João de Meriti e Duque de Caxias iniciaram a vacinação ontem. Hoje as doses vão chegar a moradores de Xerém e Taquara, em Caxias. A prioridade é imunizar a população atendida nos Espaços de Saúde da Família (ESF) nos bairros de Santa Rosa, Santo Antônio da Serra, Parque Eldorado, Jardim Olimpo e Taquara. Das 8h às 16h, também haverá vacinação no Colégio Presidente Vargas, na área rural de Xerém.

Ainda na Baixada Fluminense, Magé iniciou a vacinação na segunda-feira. O município recebeu 40 mil doses, nos 26 polos de vacinação distribuídos nos seis distritos. A decisão de antecipar a vacinação foi tomada após o registro de um macaco morto por febre amarela em Juiz de Fora, embora a cidade não faça divisa com Minas Gerais.

Comprovante de residência

No Norte Fluminense, diante do número excessivo de pessoas em busca da vacina, a Prefeitura de Macaé passou a exigir comprovante de residência na cidade para fornecer as doses. A mesma medida já havia sido tomada em Casimiro de Abreu, onde foram confirmados três casos da doença. Cerca de 135 mil pessoas já foram imunizadas em Macaé e a expectativa é que 200 mil pessoas tenham acesso às doses.

Campos dos Goytacazes, em apenas quatro dias de vacinação em massa, imunizou 61.975 pessoas contra a febre amarela. No total deste ano, segundo a Vigilância em Saúde, cerca de 100 mil doses da vacina já foram aplicadas. A expectativa é que dentro de quatro semanas 400 mil pessoas estejam vacinadas.

Mais dois micos mortos

O Instituto Municipal de Medicina Veterinária Jorge Vaitsman, no Rio, investiga a morte de dois micos-leões-dourados em Silva Jardim, na Baixada Litorânea. Os animais foram encontrados na manhã de terça-feira, próximos à BR-101. “Ainda não temos indícios de que estivessem contaminados com a febre amarela. A única informação que temos é que eles não tinham marcas de atropelamento. Vamos esperar o resultado dos exames”, afirmou Luís Paulo Ferraz, secretário executivo da Associação Mico-leão-dourado.

Os micos serão submetidos a testes iniciais contra raiva e depois, encaminhados para a Fiocruz, onde são realizados os exames para identificar a febre amarela. A preocupação é maior com os micos-leões-dourados porque eles são espécie em risco de extinção. Nos anos 1980, havia apenas 200 livres na natureza. Hoje, são cerca de 3.200, espalhados em oito municípios.

Leia também...

Loading...
Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com