Autoestrada Lagoa-Barra é liberada depois de quase duas horas fechada

A tropa de Choque da Polícia Militar conseguiu liberar por volta das 19h20 a Autoestrada Lagoa-Barra, que havia sido fechada nos dois sentidos, pouco depois das 17h30, por moradores da favela da Rocinha, em São Conrado, zona sul do Rio de Janeiro, em protesto pela morte de um mototaxista durante uma troca de tiros. Segundo moradores da Rocinha, Joselino Soares da Silva, de 27 anos, foi atingido por tiros disparos feitos por militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da localidade, na madrugada de hoje (6). A Polícia Militar (PM), em nota, tem outra versão para o episódio. Segundo a corporação, militares da UPP foram atacados a tiros por ocupantes de um carro na localidade da Cachopa, no interior da favela. O fechamento da via expressa provocou um caos no trânsito na zona sul da cidade.

Pela manhã, um número menor de moradores já tinha fechado a autoestrada nos dois sentidos, mas a ação foi rápida e desmobilizada em poucos minutos. À tarde, a via voltou a ser fechada. “Devido à manifestação de moradores, os dois sentidos da Autoestrada Lagoa-Barra estão interditados na altura da Rocinha. A Polícia Militar está no local. Há congestionamento nos dois sentidos da via expressa”, informou o Centro de Operações da prefeitura às 17h32. O centro indicou como rotas alternativas o Alto da Boa Vista e a Estrada Grajaú-Jacarepaguá.

O fechamento da via provocou um verdadeiro caos no trânsito na zona sul. As avenidas Vieira Souto e Visconde de Albuquerque e a Niemeyer ficaram completamente congestionadas, provocando reflexos no tráfego de veículos em toda a zona sul, com mais de 100 quilômetros de engarrafamento.

Em nota, a assessoria da PM informou que, na madrugada desta segunda-feira, policiais militares da UPP Rocinha estavam em patrulhamento pela Estrada da Gávea, altura da Estrada da Cachopa, quando ocupantes de um carro passaram fazendo disparos. Um policial ficou ferido por estilhaços e foi levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, onde recebeu atendimento médico e foi liberado.

Ainda na madrugada, de acordo com a nota, policiais militares em deslocamento para apoiar a equipe atacada naquele ponto da comunidade foram recebidos a tiros na Rua 4. Houve confronto e, após cessarem os disparos, três feridos foram encaminhados para o Hospital Municipal Miguel Couto. Na ação, duas pistolas, dois carregadores e munições foram apreendidos. O caso foi encaminhado para registro na Delegacia de Homicídios da capital.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com