Assessores econômicos de pré-candidatos participam de debate

Assessores econômicos de sete pré-candidatos e candidatos à Presidência da República participaram nesta quarta-feira (25) de debate promovido pelos conselhos Federal de Economia e Regional de Economia do Distrito Federal, na Universidade de Brasília (UnB).

O objetivo era debater com estudantes e professores universitários os principais pontos dos projetos dos presidenciáveis. Os assessores econômicos de todos os candidatos e pré-candidatos à Presidência da República foram convidados para o seminário. Dos 14 nomes convidados, sete aceitaram comparecer ao evento.

Assessores econômicos de pré-candidatos à Presidência da República nas eleições de 2018 participam de encontro, na Universidade de Brasília (UnB), para debater o programa econômico de cada candidatura.

Assessores econômicos de pré-candidatos à Presidência da República participam de debate promovido pelos conselhos federal de Economia e regional de Economia do Distrito Federal – Marcelo Camargo/Agência Brasil

 

Participaram os assessores dos seguintes pré-candidatos: Aldo Rebelo (SD), João Vicente Goulart (PPL), Manuela D’Ávila (PCdoB), João Amoêdo (Novo), Lula (PT), Henrique Meirelles (MDB), Guilherme Boulos (PSOL) e Ciro Gomes (PDT).

 

Aldo Rebelo (SD)

A assessora Luciana Acioly apresentou a agenda econômica do pré-candidato do Solidariedade, que entre outras propostas, pretende melhorar as contas públicas, solucionar a crise da Previdência, diminuir o desemprego, gerar renda e dinamizar as economias regionais.

Em relação à retomada do crescimento da economia, Rebelo, conforme a assessora, irá se basear no fortalecimento das cadeias produtivas de maior valor agregado, a reindustrialização, em investimentos – públicos e privados – em infraestrutura e diversificação regional da produção e dos serviços.

Rebelo também quer aumentar a oferta de crédito a longo prazo, estabelecer parcerias público privadas, fortalecer a integração econômica entre os países da América Latina, estabelecer critérios para as políticas de crédito, de ajuste fiscal e das reformas previdenciária, tributária e trabalhista.
 

João Vicente Goulart (PPL)

A agenda econômica de João Vicente Goulart foi apresentada pelo assessor Nilson Araújo.Segundo o assessor, um dos pontos centrais do projeto econômico de Goulart é a geração de empregos e aumentar o poder de compra dos assalariados, com a proposta de dobrar o valor do salário mínimo e reduzir as desigualdades de gênero e salariais no mercado de trabalho.

Goulart também propõe reformar a Previdência de forma que o salário do aposentado não seja menor do que o último provimento recebido enquanto estava na ativa. Ele também quer revogar a reforma trabalhista.

Sobre inflação, o pré-candidato sugere igualar a taxa brasileira à media mundial e fortalecer os bancos públicos. Goulart ainda propõe o aumento dos investimentos em tecnologia e inovação para 3% do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

 

Manuela D’Ávila (PCdoB)

O assessor econômico do PCdoB, Pedro Garrido, afirmou que uma das questões centrais da campanha de Manuela D’Ávila é a formulação de um projeto nacional de desenvolvimento econômico.O economista ressaltou que a prioridade é recuperar o Estado, melhorar a capacidade de articulação com o mercado e ampliar a capacidade inovadora na economia.

A pré-candidata do partido quer desenvolver uma política industrial ativa, que possa atrair investimentos públicos, utilizar empresas estatais, bancos públicos – levando em consideração reformas estruturais internas, disputas no mercado internacional e debate sobre a indústria 4.0.

A pré-candidata propõe a revisão das bases da macroeconomia atual e de políticas de austeridade fiscal para que se busque o equilíbrio fiscal sem afetar de forma prejudicial os gastos primários e investimentos em áreas como saúde e educação. O projeto também prevê que metas de inflação, política cambial, estabilização da relação da dívida pública com o PIB estejam atreladas com desenvolvimento econômico sustentável e geração do emprego. A pré-candidata defende a revogação da reforma trabalhista.

 

>> Veja página especial das Eleições 2018 

 

João Amoêdo (Novo)

O assessor Christian Lohbauer disse que a agenda econômica do pré-candidato João Amoêdo está baseada em duas ações: redução do custo do capital e aumento da produtividade. A primeira, de acordo com ele, deve se dar por meio do incentivo ao investimento, com o fortalecimento da iniciativa privada.

O segundo ponto do programa do partido é aumentar a produtividade ao agregar valor adicionado à hora de trabalho por intermédio de uma melhor educação e capacitação do trabalhador e do investimento maciço em inovação e tecnologia. Outro aspecto apontado por Lohbauer é a abertura do país ao mercado exterior. Para o assessor, o Brasil ainda é muito fechado e deve enfrentar a concorrência internacional com redução do chamado Custo Brasil.

Na avaliação do assessor do partido Novo, o próximo presidente terá que fazer uma reforma nas áreas previdenciária e tributária, além de intensificar o processo de privatizações das empresas estatais. Ele também defendeu o teto dos gastos públicos e o fortalecimento de um Estado eficiente.

 

Lula (PT)

O economista Guilherme Mello afirmou que o programa econômico do pré-candidato Luiz Inácio Lula da Silva está baseado em três eixos. O primeiro é um plano emergencial para a retomada do desenvolvimento imediato do país por meio do combate ao desemprego, para aumentar a renda da população, principalmente a mais pobre. O foco na criação de novas vagas será no setor da construção civil, segundo o assessor econômico.

De acordo com Mello, o segundo eixo da agenda econômica do pré-candidato petista será a revogação de leis aprovadas, como a Emenda Constitucional 95 (teto dos gastos públicos), com a proposta de novas regras fiscais para o país e a reforma trabalhista.

Para transformar a estrutura tributária, o programa prevê a manutenção da estabilidade da carga tributária estável e da distribuição federativa dos recursos. Para isso, a proposta é a isenção do Imposto de Renda para quem ganha até cinco salários mínimos e a cobrança de imposto sobre a distribuição de lucros e dividendos. Lula também quer avançar sobre a tributação maior de heranças.

 

Henrique Meirelles (MDB)

José Márcio Camargo, assessor econômico do pré-candidato do MDB, Henrique Meirelles, disse que a aprovação da reforma da Previdência e a continuidade do teto de gastos são condições necessárias para que o próximo governo possa funcionar. Ele informou que Meirelles proporá a redução de benefícios fiscais, estimados em R$ 298 bilhões para 2019, e rediscussão das vinculações orçamentárias, que, segundo ele, engessam 91% dos gastos federais. Depois da desvinculação, o Orçamento se tornaria impositivo, passando a ser cumprido como aprovado pelo Congresso a cada ano.

Camargo defendeu a unificação de cinco tributos sobre o consumo em um Imposto sobre Valor Agregado (IVA), com cobrança no destino (onde a mercadoria é consumida). Segundo ele, outra proposta é restabelecer a cobrança de Imposto de Renda Pessoa Física sobre lucros e dividendos, desde que os tributos sobre os lucros das empresas sejam reduzidos em troca.

Para destravar os investimentos em infraestrutura, a candidatura pretende estimular a participação do setor privado, por meio da autonomia para as agências reguladoras e da simplificação da Lei de Licitações. O eventual dinheiro que sobrar seria usado para expandir o Prouni para creche e ensino fundamental e reformular a segurança pública.

 

Ciro Gomes (PDT)

Coordenador econômico do candidato Ciro Gomes, o ex-secretário de Fazenda do Ceará, Mauro Benevides Filho, defendeu uma combinação de melhoria de gestão, revisão de incentivos e racionalização de gastos para ampliar investimentos, nos moldes do programa aplicado no estado de origem do candidato.

Para elevar a arrecadação, a campanha de Ciro propõe a redução de 15% das desonerações tributárias, o corte de 10% nas despesas de custeio (manutenção da máquina pública) por meio de um pente-fino, a isenção de tributos na compra de bens de capital (máquinas e equipamentos usados na produção).

Em troca, o governo reduziria a tributação sobre os lucros das empresas e retiraria os investimentos do teto de gastos. Em relação à Previdência Social, Benevides sugere uma reforma que crie um regime de capitalização para trabalhadores dos setores público e privado a partir de um benefício abaixo do teto atual de aposentadoria e pensões. Ele defende a privatização de estatais que deem prejuízo. Para diminuir a transferência de renda dos mais pobres para os mais ricos, ele propõe a redução de tributos sobre o consumo, a recriação do Imposto de Renda sobre lucros e dividendos e o aumento do imposto sobre a herança. Benevides disse que a campanha de Ciro analisa a taxação temporária de grandes movimentações financeiras, até que a dívida pública se estabilize.

 

Guilherme Boulos (PSOL)

Para Marco Antônio Rocha, assessor econômico do candidato do PSOL, a austeridade não é o caminho para o país sair da crise. Segundo ele, a economia só voltará a crescer de forma sustentada por meio de um programa de desenvolvimento que alie um plano de obras nas principais regiões metropolitanas, principalmente em transporte público, saneamento e saúde. Esse programa também englobaria política industrial e de ciência e tecnologia atreladas ao desenvolvimento de regiões e do atendimento de necessidades da população. Segundo Rocha, esse plano resultará em desenvolvimento se cada projeto for atrelado a metas concretas de geração de empregos e de utilização de tecnologia da indústria 4.0.

A campanha do PSOL defende a revogação do teto de gastos, o fim das privatizações e do sucateamento de empresas estatais e a redução dos juros dos bancos públicos, com renegociação de dívidas de famílias e de pequenas empresas.

Para financiar esse programa, Rocha propõe três fontes de recursos: reforma tributária, com redução de tributos sobre o consumo e aumento dos tributos sobre propriedade e renda dos mais ricos, o fim de isenções na cadeia produtiva e a modificação da regulação sobre o câmbio e o capital financeiro, com tributação e taxações. Segundo ele, essas medidas renderiam 5% do Produto Interno Bruto (PIB), sem custo para o pobre e a classe média. Sobre a reforma da Previdência, o assessor afirmou que ela não é necessária. 

 

10 Comentários

  • I simply want to say I am all new to blogging and site-building and absolutely loved your web-site. Very likely I’m planning to bookmark your website . You certainly have exceptional posts. Kudos for revealing your web-site.

  • Everyone who is all the same undecided: attract your chosen earphones, go to a Greatest coupe and enquire for connector all of within Microsoft zune therefore a music player and figure out what kind sounds somewhat much better to families, while exactly which vent allows you to be teeth whole lot more. You’ll learn and that right for you.

  • I’m not sure where you are getting your information, but good topic. I needs to spend some time learning much more or understanding more. Thanks for great information I was looking for this info for my mission.

  • Good – I should certainly pronounce, impressed with your site. I had no trouble navigating through all the tabs as well as related information ended up being truly simple to do to access. I recently found what I hoped for before you know it in the least. Quite unusual. Is likely to appreciate it for those who add forums or anything, website theme . a tones way for your client to communicate. Excellent task.

  • hi!,I like your writing very so much! share we keep in touch extra about your article on AOL? I need an expert on this area to resolve my problem. May be that is you! Having a look ahead to peer you.

  • This is very interesting, You’re a very skilled blogger. I’ve joined your feed and look forward to seeking more of your excellent post. Also, I’ve shared your web site in my social networks!

  • There a few intriguing points at some point here but I do not know if all of them center to heart. There’s some validity but I’m going to take hold opinion until I investigate it further. Excellent post , thanks and we want a lot more! Combined with FeedBurner too

  • This is very interesting, You’re a very skilled blogger. I have joined your feed and look forward to seeking more of your excellent post. Also, I have shared your site in my social networks!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com