"ACM Neto resolve difíceis problemas da cidade", afirma J. Carlos Filho

J. Carlos Filho (SD) é mais um vereador a não enxergar nenhum ponto negativo na gestão do prefeito e candidato à reeleição ACM Neto (DEM). “Não avalio nenhum ponto negativo. O compromisso que o prefeito ACM Neto tem com a cidade é um ponto muito importante. Não vejo nada que possa mudar isso”, disse J. Carlos Filho em entrevista à Tribuna na série Papo Rápido.

O vereador avalia que saúde e educação devem “continuar sendo” as prioridades de Salvador, em outro mandato de ACM Neto ou na gestão de outro prefeito.

O parlamentar destaca sua atuação em Cajazeiras e nos bairros do Subúrbio Ferroviário. Ele não vê problema com o fim das doações para campanhas por empresários. “Minha campanha não é cara, então não tenho dificuldades em relação a isso. Nós trabalhamos por quatro anos e hoje estamos colhendo esses frutos.

A gente trabalhou e a comunidade está reconhecendo, e está votando. A campanha da gente é bem pé no chão, bem próxima da realidade”. Leia a entrevista a seguir.

Tribuna da Bahia – Como o senhor avalia a atual legislatura da Câmara Municipal de Salvador?
J. Carlos Filho –
Muito positiva. A condução do nosso presidente Paulo Câmara vem mudando o perfil da Casa. A Câmara vem resgatando a confiança do soteropolitano com o trabalho dos vereadores.
 
Tribuna – E seu próprio mandato? O que pode ser colocado como destaque em benefício da população?
J. Carlos –
Temos um mandato muito atuante. Trabalhamos muito para recuperar Salvador ao lado do prefeito ACM Neto, sobretudo nas comunidades mais carentes. Nosso mandato é muito próximo das comunidades. Nós cumprimos com nosso papel. Atuamos no Subúrbio Ferroviário, Bairro da Paz, Cajazeiras. Temos muita demanda na área de saúde, recapeamento asfáltico, iluminação de ruas. Buscamos atender às demandas da população em todas as áreas, dando encaminhamento para o prefeito ACM Neto. Fizemos o projeto de indicação da orla do subúrbio, da nova Avenida Suburbana. Fico muito orgulhoso com esses dois projetos entre os mais de 220 que nós apresentamos.
 
Tribuna – Como o senhor avalia o governo do prefeito ACM Neto?
J. Carlos –
Pelo competente governo que vem mudando nossa cidade, uma cidade que ficou muito tempo com problemas em todas as áreas… ACM Neto conseguiu mudar isso. É um governo sério, comprometido, e que está resolvendo difíceis problemas da cidade, sobretudo no Subúrbio Ferroviário. Ele vem mudando a realidade de Salvador.
 
Tribuna – O que o senhor aponta como principal erro e principal acerto da gestão dele?
J. Carlos –
Eu vejo muitos acertos. Com ele não tem diferença. Os outros prefeitos tinham distinção com o subúrbio e o centro da cidade. Ele, não. Ele trabalha em toda a cidade. É um ponto muito positivo essa forma de governar, sem diferença, sem olhar cor, sem olhar classe social. Ele faz um trabalho voltado para todos para que a cidade cresça por igual para nosso povo. Não avalio nenhum ponto negativo. O compromisso que o prefeito ACM Neto tem com a cidade é um ponto muito importante. Não vejo nada que possa mudar isso.
 
Tribuna – Diante de tantas carências que Salvador tem, o que pode ser colocado como prioridade pelo próximo prefeito?
J. Carlos –
A gente precisa ter como prioridade a saúde. Apesar de o prefeito ter feito uma melhoria substancial, saúde e educação são os pontos que a gente precisa dar prioridade.
 
Tribuna – Gerar empregos seria uma prioridade?
J. Carlos –
Nós tivemos uma crise. Não é culpa da prefeitura a questão do desemprego. Eu acredito que quando a gente tiver uma saúde melhor, uma educação melhor, a gente vai melhorar a questão do emprego. O prefeito vem lutando para dar condições melhores à cidade. Acho que vamos ter mais serviços e assim o desemprego vai diminuir.
 
Tribuna – Com as mudanças na legislação eleitoral, como está sendo a campanha neste ano, sobretudo no quesito arrecadação?
J. Carlos –
São muitas coisas em relação à legislação eleitoral. Não estou tendo muita dificuldade com arrecadação porque eu nunca tive empresários que doavam. Se você ver nossa prestação de contas, vai ver pessoas que sempre doaram e continuam doando. Minha campanha não é cara, então não tenho dificuldades em relação a isso. Nós trabalhamos por quatro anos e hoje estamos colhendo esses frutos. A gente trabalhou e a comunidade está reconhecendo, e está votando. A campanha da gente é bem pé no chão, bem próxima da realidade.
 
Tribuna – A crise nacional está impactando nas eleições deste ano em Salvador?
J. Carlos –
Para quem sempre teve muita doação de empresas, eu acho que sim. Mas a gente não tem essa dificuldade. A campanha da gente é bem baratinha, bem próxima da realidade que a gente vive.


Outros destaques: